Terça-feira, 11 de Julho de 2006

26 de maio (Ser professor do moodle)

Instala磯 do Moodle

Este guia explica como instalar Moodle pela primeira vez. Alguns dos passos s㯠explicados com maior detalhe, para abrangir todas as pequenas diferen硳 entre diferentes configura絥s dos navegadores, assim que este documento pode parecer comprido e complicado. N㯠se deixe desanimar por isso - eu costumo instalar o Moodle em poucos minutos!

Leia este documento com calma e cuidadosamente - poderᠡssim poupar algum tempo no futuro.

Sec絥s neste documento:

  1. Pacotes necessᲩos
  2. Obter uma c󰩡 do Moodle
  3. Estrutura do so
  4. Cria磯 do direct󲩯 de dados
  5. Cria磯 da base de dados
  6. Verificar a configura磯 do servidor web
  7. Editar config.php
  8. Visitar a p᧩na de administra磯
  9. Configurar o cron
  10. Cria磯 de uma disciplina

 

1. Pacotes necessᲩos

Moodle 頤esenvolvido principalmente em Linux, usando Apache, MySQL e PHP (a combina磯 comumente designada de plataforma LAMP), mas tamb魠鍊 testado regularmente com PostgreSQL e nos sistemas operativos Windows XP, Mac OS X e Netware 6.

Os pacotes necessᲩos para o funcionamento de Moodle s㯺

  1. Servidor Web. A maior parte das pessoas usam Apache, mas Moodle deverᠦuncionar com qualquer servidor Web que suporte PHP, como, por exemplo, IIS nas plataformas Windows.
  2. A linguagem PHP (vers㯠4.1.0 ou superior), com as op絥s seguintes:
    • Libraria GD activada, com suporte para formatos JPG e PNG.
    • libraria zlib activa (se quiser usar c󰩡s de seguran硯restaura磯 em Windows)
    • Suporte de sess?(sessions support) activo
    • Envio de ficheiros (file uploading) activo
    • Modo seguro (safe mode) desactivado (nos foruns em moodle.org pode ler acerca dos problemas causados pelo modo seguro)
  3. Servidor de bases de dados: Moodle suporta completamente MySQL ou PostgreSQL que s㯠as duas op絥s recomendadas em Moodle 1.1. Outros servidores de bases de dados ser㯠suportados em vers?futuras.

A maior parte dos fornecedores de servi篳 Web incluim todo esse software. Se o seu fornecedor for um dos poucos que n㯠inclui essas op絥s, pergunte porque n㯠o fazem e considere uma mudan硠de fornecedor.

Se quiser usar Moodle no seu pr󰲩o computador e a instala磯 de todo esse software parece-lhe complicada, consulte o nosso guia: Instala磯 de Apache, MySQL e PHP. Nesse guia encontrarᠩnstruc絥s passo a passo para as plataformas mais populares.

 

2. Obter uma c󰩡 do Moodle

Existem duas formas de obter o Moodle, num ficheiro comprimido ou atrav鳍 do CVS. Essas duas formas explicam-se com mais detalhe na p᧩na web: http://moodle.org/download/

Depois de copiar e desempacotar o arquivo, ou depois de ter obtido uma c󰩡 do CVS, deverᠴer um direct󲩯 "moodle", que contem vᲩos ficheiros e subdirect󲩯s.

Pode transferir esse direct󲩯 directamente para o direct󲩯 raiz do seu servidor web, e nesse caso o seu so ficarᠤisponl em http://o_seu_servidor.com/moodle, ou pode copiar o conte?o direct󲩯 moodle directamente para o direct󲩯 raiz do seu servidor web, ficando a sua instala磯 do Moodle dierectamente em http://o_seu_servidor.com.

 

3. Estrutura do so

A seguir apresentamos um sumᲩo do conte?o direct󲩯 moodle, para o ajudar a orientar-se:

config-dist.php - mais tarde vai fazer uma c󰩡 deste ficheiro, dando-lhe o nome config.php. Este serᠯ ڎICO ficheiro que precisa de editar para come硲 a usar o Moodle.
version.php - define a vers㯠actual do c󤩧o do Moodle
index.php - a p᧩na principal do so

  • admin/ - c󤩧o para administra磯 de todo o servidor
  • auth/ - m󤵬os para autentica磯 de utilizadores
  • course/ - c󤩧o para mostrar e gerir disciplinas
  • doc/ - documenta磯 e ajuda do Moodle (esta p᧩na incluida)
  • files/ - c󤩧o para mostrar e gerir ficheiros enviados
  • lang/ - mesnagens de texto em diferentes luas; um diret󲩯 por cada lua
  • lib/ - librarias do c󤩧o bᳩco do Moodle
  • login/ - c󤩧o para cria磯 e acesso ೠcontas de utilizadores
  • mod/ - todos os m󤵬os de disciplina no Moodle
  • pix/ - imagens gen鲩cas do so
  • theme/ - pacotes temᴩcos (theme/skins) para mudar a aparꮣia do so
  • user/ - c󤩧o para mostrar e gerir a lista de utilizadores

 

4. Cria磯 do direct󲩯 de dados

Moodle precisa de algum espa篠no seu disco rdo para armazenar ficheiros enviados, por exemplo, os documentos associados a uma disciplina e as fotografias dos utilizadores.

Crie um direct󲩯 para esse prop󳩴o em alguma parte do seu sistema de ficheiros. Por raz?de seguran硬 頣onveniente que esse direct󲩯 N seja acessl directamente atrav鳠da web. A forma mais simples de garantir isso, serᠣriar o direct󲩯 por FORA do direct󲩯 raiz do seu servidor Web; se assim n㯠for, terᠱue o proteger criando nele um ficheiro .htaccess com o seguinte conte?

deny from all

Para garantir que Moodle poderᠧravar nesse direct󲩯 os ficheiros recebidos, confira que o servidor web (por exemplo o Apache) tenha autoriza磯 para escrever nesse direct󲩯. Em plataformas Unix, isso implica mudar o propietᲩo do direct󲩯 para algo como "nobody" ou "apache".

Em muitos servidores web partilhados, provavelmente terᠱue prohibir o acesso a todos os ficheiros por parte do seu "grupo" (para evitar que outros utilizadores do servidor possam consultar ou modificar os seus ficheiros), mas permitir acesso de leitura/escritura para outros utilizadores (assim o servidor Web terᠡcesso aos seus ficheiros). Consulte com o seu administrador do servidor Web se tiver dificuldades em configurar o seu direct󲩯 em forma segura.

 5. Cria磯 da base de dados

Terᠱue criar uma base de dados (por exemplo "moodle"), vazia, no seu sistema de bases de dados, junto com um utilizador especial (por exemplo "moodleuser") que tenha acesso a essa base de dados (e a nenhuma outra). Poderᠵsar o utilizador "root" se quiser, mas isso n㯠頡conselhᶥl para um sistema activo: se os "crackers" conseguirem descobrir a contrasenha de acesso ࠢase de dados, todo o seu servidor de bases de dados ficarᠥm risco, em vez de por em risco unicamente uma base de dados.

Os comandos seguintes s㯠um exemplo da cria磯 da base de dados em MySQL:

   # mysql -u root -p
   > CREATE DATABASE moodle; 
   > GRANT SELECT,INSERT,UPDATE,DELETE,CREATE,DROP,INDEX,ALTER ON moodle.* 
           TO moodleuser@localhost IDENTIFIED BY 'seupassword'; 
   > quit 
   # mysqladmin -p reload

E um exemplo para PostgreSQL:

   # su - postgres
   > psql -c "create user moodleuser createdb;" template1
   > psql -c "create database moodle;" -U moodleuser template1
   > psql -c "alter user moodleuser nocreatedb;" template1

(Se usar MySQL, recomendo vivamente o uso de phpMyAdmin para gerir as suas bases de dados - poderᠧerir a base de dados usando uma interface Web).

A partir da vers㯠1.0.8, Moodle aceita prefixos de tabelas, para poder partilhar uma base de dados com tabelas SQL de outras aplica絥s.

 

6. Verificar a configura磯 do servidor web

O primeiro que deverᠣonferir 頱ue o seu servidor web estᠣonfigurado para usar index.php como nome de p᧩na por omiss㯠(poderᠴamb魍 aceitar outros nomes alternativos, por exemplo, index.html, default.htm, etc).

Em Apache, isso 頦eito usando o comando DirectoryIndex no seu ficheiro de configura磯 httpd.conf. O meu normalmente contem o seguinte:

DirectoryIndex index.php index.html index.htm 

Verifique que index.php esteja entre a lista (e preferivelmente mais perto do ino da lista, para aumentar a eficiꮣia).

A seguir, se estiver a usar Apache 2, deverᠡctivar a variᶥl AcceptPathInfo, que permitirᠡ passagem de argumentos na forma http://servidor/ficheiro.php/arg1/arg2. Isso 頥sencial para poder permitir apontadores relativos entre os seus recursos, e tamb魠para melhorar o desempenho para os utilizadores do seu so Moodle. Poderᠡctivar essa variᶥl juntado a linha que se segue ao seu ficheiro httpd.conf

AcceptPathInfo on 

Em terceiro lugar, Moodle precisa da activa磯 de algumas op絥s do PHP para funcionar correctamente. Na maior parte dos servidores essas op絥s jᠥstar㯠activas por omiss㯮 No entanto, alguns servidores PHP (especialmente nas vers?mais recentes) poder㯠estar configuradas em forma diferente. Essas op絥s activam-se no ficheiro de configura磯 do PHP (normalmente o ficheiro php.ini):

magic_quotes_gpc = 1    (preferred but not necessary)
magic_quotes_runtime = 0    (necessary)
file_uploads = 1
session.auto_start = 0
session.bug_compat_warn = 0

Se n㯠tiver acesso a httpd.conf ou php.ini no seu servidor, ou se estiver a usar outras aplic絥s que exigem outra configura磯 diferente, n㯠se preocupe pois poderᠡinda INVALIDAR a configura磯 global.

Para o conseguir, deverᠣriar um ficheiro .htaccess no direct󲩯 principal do Moodle, com as defini絥s que precisa. Isso s󍊠 funcionarᠮo Apache, e quando a op磯 Overrides for permitida na configura磯 global do servidor. O conte?e .htacces serẍ

DirectoryIndex index.php index.html index.htm

<IfDefine APACHE2>
     AcceptPathInfo on
</IfDefine>

php_flag magic_quotes_gpc 1
php_flag magic_quotes_runtime 0
php_flag file_uploads 1
php_flag session.auto_start 0
php_flag session.bug_compat_warn 0

Poderᠦazer outras coisas como, por exemplo, definir o tamanho mḩmo do ficheiros enviados para o Moodle:

LimitRequestBody 0
php_value upload_max_filesize 2M
php_value post_max_size 2M
     

O mais fᣩl serᠣopiar o ficheiro tipo em lib/htaccess e edit᭬o para se adaptar ೠsuas necessidades (o ficheiro contem algumas dicas adicionais). Por exemplo, num shell do Unix:

cp lib/htaccess .htaccess

 

7. Editar config.php

Neste momento pode criar e editar o ficheiro de configura磯, config.php, usando um editor de texto. Esse ficheiro serᠵtilizado por todos os outros ficheiros em Moodle.

Para come硲, fa硠uma c󰩡 de config-dist.php e mude-lhe o nome para config.php. Isto 頦eito para n㯠perder a configura磯 original, caso tenah que actualizar o Moodle mais tarde.

Edite config.php especificando a informa磯 da base de dados que jᠣriou (incluindo o prefixo de tabelas - repare que no caso do PostgreSQL isso 頏BRIGATӒIO), assim como o endere篠do seu so Web, e os nomes dos direct󲩯s do sistema e dos dados. O pr󰲩o ficheiro de configura磯 traz comentᲩos e exemplos.

Uma vez termine de editar o ficheiro de configra磯, o resto da instala磯 頦eita atrav鳠da interface web. No que resta deste documento vamos admitir que o seu so web encontra-se em: http://exemplo.com/moodle

 

8. Visitar a p᧩na de administra磯

A p᧩na de adminstra磯 jᠤeverᠥstar activa em: http://exemplo.com/moodle/admin. De qualquer forma, se neste momento tentar aceder ࠰᧩na principal do seu servidor moodle, serፊ redireccionado automaticamente para essa p᧩na. A primeira vez que entrar na p᧩na de administra磯, ser-lhe-ᠡpresentada a licen硠GPL qu deverᠡceitar para poder continuar com a instala磯.

(Moodle tamb魠enviarᠡlgumas "cookies" para o seu navegador web. Se o seu navegador estiver configurado para perguntar antes de aceitar cookies, deverᠡceit᭬as ou Moodle n㯠funcionarᠣonrrectamente.)

A seguir Moodle procederᠡ configurar a sua base de dados criando as tabelas que ser㯠usadas para guardar os dados. Primeiro s㯠criadas as tabelas principais. Deverᠶer vᲩos comandos SQL seguidos por mensagens de diagn󳴩co (a verde ou vermelho) do g鮥ro de:

CREATE TABLE course ( id int(10) unsigned NOT NULL auto_increment, category int(10) unsigned NOT NULL default '0', password varchar(50) NOT NULL default '', fullname varchar(254) NOT NULL default '', shortname varchar(15) NOT NULL default '', summary text NOT NULL, format tinyint(4) NOT NULL default '1', teacher varchar(100) NOT NULL default 'Teacher', startdate int(10) unsigned NOT NULL default '0', enddate int(10) unsigned NOT NULL default '0', timemodified int(10) unsigned NOT NULL default '0', PRIMARY KEY (id)) TYPE=MyISAM

SUCCESS

...and so on, followed by: Main databases set up successfully.

Se n㯠aparecerem essas mensagens, existirᠡlgum problema com a base de dados ou com a configura磯 que definiu em config.php. Verifique que PHP n㯠esteja em "Modo seguro" (Safe Mode. Alguns servidores comerciais costumam vir em modo seguro). Pode verificar as variᶥis do PHP criando um pequeno ficheiro que contenha <? phpinfo() ?> e olhando para ele usando o seu navegador we. Verifique o resultado e tente acceder novamente ࠰᧩na de administra磯.

Avance at頯 fim da p᧩na e carregue no bot㯠"Continuar".

A seguir verᠵma outra p᧩na semelhante que configura as tabelas usadas por cada m󤵬o do Moodle. Igual que no caso anterior, todas as mensagens de diagn󳴩co dever㯠aparecer em green.

Avance at頯 fim da p᧩na e carregue no bot㯠"Continuar".

Deverᠡgora aparecer um formulᲩo onde pode definir mais variᶥis de configura磯 para a sua instala磯 como, por exemplo, a lua usada por omiss㯬 o nome do servidor SMTP, etc. N㯠se preocupe muito em tentar conifugar tudo ࠰rimeira vez - poderᠲegressar a esta p᧩na sempre que quiser, atrav鳠da interface de administra磯, e experimentar diferentes configura絥s. Avance at頯 fim da p᧩na e carregue no bot㯍 "Gravar altera絥s".

Se n㯠conseguir avan硲 para a frente dessa p᧩na (e unicamente nesse caso), provavelmente o seu servidor tem o problema que eu chamo "referidor defeituoso" ("buggy referrer"). Isso 頦ᣩl de corrigir: simplesmente desactive a op磯 de "formulᲩos seguros" (secureforms"), e tente novamente.

A p᧩na seguinte 頵m formulᲩo onde pode definir par⭥tros para o seu so Moodle e para a p᧩na principal, tais como o nome, formato, descri磯, etc. Complete esse forumlᲩo (poderᠳempre regressar mais tarde e fazer altera絥s) e carregue em "Gravar altera絥s".

Finalmente, ser-lhe-ᠰedido para criar um utilizador administrador de alto nivel para acesso futuro ೠp᧩nas de administra磯. Complete a informa磯 com o seu pr󰲩o nome, endere篠de correio electr󮩣o, etc e carregue em "Gravar altera磯es". N㯠todos os campos s㯍 indispensᶥis, mas se esquecer algum campo importante, voltarᠡ aparecer o formulᲩo. Tenha o cuidade de lembrar o nome de utilizador e a palavra chave que seleccionou para o administrador, jፊ que eles ser㯠necessᲩos para acceder as p᧩nas de administra磯 em ocasi?futuras.

(Se por qualquer raz㯠a sua instala磯 for interrompida, ou aparece algum erro que lhe impe硠entrar com a palavra chave do administrados, normalmente poderᠡceder com o nome de administrador por omiss㯬 "admin", com palavra chave "admin".)

Uma vez concluido esse processo com 鸩to, ser-lhe-ᠡpresentada a p᧩na principal do seu so. Repare no menu de administra磯 no lado esquerdo da p᧩na (as mesmas alinhas no menu aparecem na p᧩na de administra磯) - esse menu s󠩠vissl para si por ter entrado como o administrador. todas as configura絥s que tenha que fazer a partir de agora poder㯍 ser feitas a partir desse menu; por exemplo:

  • cria磯 e elimina磯 de disciplinas
  • cria磯 e modifica磯 de contas de utilizadores
  • gest㯠de contas de docentes
  • mudan硠de op絥s globais como o tema, lua, etc

9. Configurar o cron

Algum dos m󤵬os do Moodle precisam de verifica絥s frequentes para realizar algumas tarefas. Por exemplo, Moodle precisa verificar os foruns de discus㯠para saber se 頰reciso enviar por correio c󰩡s de novas contribui絥s, aos assinantes do forum.

O script que executa essas tarefas de rutina encontra-se no direct󲩯 admin, com o nome cron.php. No entanto, ele n㯠pode arrancar por si pr󰲩o, mas serᠰreciso instalar um mecanismo para que o script seja executado a intervalos regulares (por exemplo, cada 5 ou 10 minutos). Mecanismo esse que constitui as pulsa絥s necessᲩas para que o script possa executar as tarefas definidas por cada m󤵬o.

De salientar que a mᱵina que execute o cron n㯠tem que ser a mesma mᱵina onde Moodle estᠩnstalado. Por exemplo, se tiver um fornecedor web com limita絥s, que n㯠tem o programa cron, poderፊ decidir executar cron em outra mᱵina ou at頮o seu computador em casa. O ? que interessa 頱ue o ficheiro cron.php seja invocado regularmente.

A carga imposta por esse script n㯠頭uito elevada, de maneira que 5 minutos 頵m intervalo de tempo razoᶥl, mas se estiver priocupado ao respeito pode reduzir o intervalo para 15 ou at頳0 minutos. Conv魍 n㯠usar intervalos de tempo muito compridos, jᠱue o atraso no envio de mensagens de correio pode diminuir o nivel de actividade da disciplina.

 Primeiro que tudo, teste o script executando-o directamente a partir do seu navegador:

http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php

A seguir, tem que instalar algum mecanismo para executar o script automaticamente, a intervalos regulares.

Execu磯 do script a partir da linha de comandos

Pode invocar a p᧩na a partir da linha de comandos, tal como fez no exemplo acima. Por exemplo, pode usar algum programa do Unix como 'wget':

wget -q -O /dev/null http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php

Repare nesse exemplo que a saida do comando 頤eitada fora (para /dev/null).

A mesma coisa usando lynx:

lynx -dump http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php > /dev/null

Em forma alternativa, pode usar uma vers㯠autonoma do PHP, compilada para poder ser executada directamente a partir da linha de comandos. A vantagem em fazer isso serᠱue os estaticas de acesso a o servidor n㯠ser㯠preenchidas com pedidos constantes do script cron.php. A desvantagem 頱ue precisarᠴer acesso a uma vers㯠de PHP para linha de comandos.

/opt/bin/php /web/moodle/admin/cron.php

(Windows) C:\apache\php\php.exe C:\apache\htdocs\moodle\admin\cron.php

Execu磯 automatica do script cada 5 minutos

Em sistemas Unix: Use cron. Edite a sua configura磯 do cron, a partir da linha de comando usando "crontab -e" e adicione uma linha que diga:

*/5 * * * * wget -q -O /dev/null http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php

Usualmente, o comando "contrab" abrirᠯ editor 'vi'. No editor 'vi' acceda ao modo de inser磯 carregando na tecla do "i", escreva a linha que acabamos de sugerir, e finalmente saia do modo de inser磯 carregando em ESC. Pode gravar e sair se escrever ":wq", ou sair sem gravar nenhuma altera磯, se escrever ":q!" (sem as aspas).

Em sistemas Windows: A forma mais fᣩl consiste em usar este pequeno pacote: moodle-cron-for-windows.zip que torna esse proceso muito simples. Pode tamb魠explorar a possibilidade de usar funcionalidades pr󰲩as do Windows para Tarefas Programadas.

Em servidores web de fornecedores de servi篳: O painel de controlo do seu sistema de web poderᠴer uma p᧩na que lhe permita programar esse procedimento. Pergunte pormenores ao seu administrador. 

10. Cria磯 de uma disciplina

Agora que a sua instala磯 do Moodle funciona adequadamente, poderᠣriar uma disciplina.

Seleccione "Criar uma noa disciplina" a partir da p᧩na de administra磯 (ou a partir dos enlaces na p᧩na principal).

Complete o formulᲩo, prestantdo especial aten磯 para o formato da disciplina. N㯠tem que se preocupar muito com os pormenores neste momento, jᠱue todo poderᠳer alterado mais tarde pelos docentes da disciplina.

Carregue em "Gravar altera絥s", e serᠣonduzido para um novo formulᲩo onde poderᠤesignar docentes para a disciplina. Esse formulᲩo s󠰥rmite adicionar contas de utilizadores jᠥxistentes - se quiser criar novas contas de professores, pe硠ao pr󰲩o docente para criar uma conta pessoal (ver a p᧩na de acesso), ou criar uma conta para ele por meio da op磯 "Adicionar novo utilizador" na p᧩na de administra磯.

Uma vez criada, a disciplna estᠰronta para ser modificada e estarፊ acessl atrav鳠sa sec磯 de "Disciplinas" na p᧩na principal.

sinto-me:
publicado por manek_luan às 16:49
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Português 8E a 12 de Julho de 2006 às 19:15
Olá Supernuno!
Sabes? Não entendi metade... era, de facto, muito interessante podermos ser nós a criar uma plataforma moodle, tal como fizemos com os blogs, mas... precisamos ainda de muitas horas de estudo para isso!
Era fantástico poder contar com uma plataforma destas só para nós e as nossas turmas... facilitava-nos muito o trabalho e motivava bastante os alunos, pois as suas potencialidades não se comparam às dos blogs.
Sabes outra coisa? Gostei do teu blog: tens trabalhado bem, para quem não sabia nada disto! Vais levar para Timor o fascínio das Novas Tecnologias... Estou também curiosa para conhecer a tua webquest; vais abordar o tema dos contos populares orais do teu projecto? Quero, depois, conhecer os primeiros manuais escolares da história de Timor e contar a todos que foram elaborados por um amigo meu!
Superbeijinhos


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. 1 de Maio

. A casa sagrada (uma lulik...

. Saudade!!!!

. O meu Portefólio

. Foto sobre cultura timore...

. O que é o webquest????

. 4 de Julho ( O antigo com...

. 26 de maio (Ser professor...

. 14 de Março ( O que o por...

. A origen da ilha de Timor...

.arquivos

. Maio 2007

. Julho 2006

. Março 2006

.favorito

. O surgimento de uma nova ...

.links

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds